Quando ouvimos o termo “transformação digital” é comum que a primeira coisa que venha na cabeça é uma mudança muito grande, que repensa toda a estrutura da organização ou que seja até mesmo utópica e difícil de ser atingida. Mas essa ideia está bem distante do verdadeiro significado do termo que é assunto deste artigo.

Transformação digital é sobre mudança de mentalidade dentro do cenário corporativo, é uma mudança muito mais cultural do que estrutural. E essa mudança acontece quando as empresas investem em tecnologias e processos para ficarem em dia com os avanços tecnológicos e, de forma, geral, para ficarem mais modernas, vivas e prontas para quaisquer desafios que o futuro reserva.

E onde fica a tecnologia?

É fato que para qualquer revolução que tenha o nome de “digital”, a tecnologia entra em cena em algum momento. Porém, quando pensamos na transformação digital, é importante destacar que o foco não são os dispositivos tecnológicos ou equipamentos ou plataformas de última geração. Todas essas tecnologias fazem parte, de fato, da transformação, mas elas atuam como um meio para um fim muito maior. Isto é, as empresas se utilizam da tecnologia como suporte para um objetivo final: se modernizar.

E tudo é um processo, que envolve esforços não apenas dos setores de TI, mas sim de toda a organização em conjunto. Atingindo a transformação digital por meio de uma mudança na cultura e na mentalidade, empresas que surgiram na era pré-digital têm a oportunidade de se inserir para competir no mercado. E essa evolução se torna uma necessidade em um momento ou outro, já que as empresas precisam se adaptar aos novos cenários e contextos da era contemporânea e digital.

Além disso, nenhum desses avanços tecnológicos é “novo”, pois desde o surgimento da humanidade, a sociedade foi evoluindo, inovando e buscando novas formas de realizar seus processos. A tecnologia impacta todos os cenários da sociedade, e com as empresas não seria diferente, não é?

Mas com isso tudo dito, qual é a definição que podemos tirar de transformação digital?

De forma geral, a transformação digital é uma mudança cultural que aplica uma mentalidade digital em todos os setores da empresa, com foco não apenas nos produtos, mas também (e mais prioritariamente) nos processos. Num cenário modernizado, a transformação é sobre tornar os processos digitais, adequando a corporação à lógica do novo mundo moderno: flexibilidade, agilidade e acessibilidade.

E é sobre essa lógica que veremos um pouco abaixo

Os pilares da transformação digital

Para qualquer mudança, existem princípios orientadores que direcionam a sua aplicação e nos mostram os resultados obtidos a partir dela. No caso da transformação digital, a tecnologia funciona como um degrau, atuando como suporte e possibilitando a realização de todos os seus pilares. Confira quais são eles!

Foco no consumidor

É o desejo dos consumidores que deve orientar a atuação da empresa. Ao focar numa cultura que chamamos de customer centered (centrada no cliente), é possível observar, medir e avaliar as vontades e necessidades do público-alvo da organização. E uma empresa que oferece soluções que seu público procura, se destaca muito facilmente no mercado, e pode ser usada como exemplo de sucesso e, é claro, referência na transformação digital.

Feedbacks constantes

É importante estar sempre se autoavaliando e avaliando a outros para reconhecer erros e possibilidades de melhoria, pois a comunicação é a chave para muitos processos. Uma empresa que tem como uma prioridade a cultura de feedbacks, em que seus líderes estão aptos para emitir e seus colaboradores treinados para receber, direciona sua visão para o futuro. E é justamente ao notar lacunas e pensar na evolução que as organizações se modernizam! 

Entregas ágeis

Os processos corporativos devem acontecer com organização e eficácia, desde a idealização e planejamento até o aperfeiçoamento de algum produto ou serviço. Cada etapa do desenvolvimento deve seguir metodologias ágeis para acelerar a entrega, e isso é possível por meio da quebra dos processos em tarefas, organização de times colaborativos e multidisciplinares, observação de resultados e inovação.

Adaptação às mudanças

Este pilar está diretamente alinhado às entregas ágeis, uma vez que é por meio de boas entregas que as empresas se adequam aos contextos nos quais elas se inserem, com a possibilidade de observar fraquezas e aprimorar processos sempre que necessário. Nesses momentos, a flexibilidade ganha a cena, pois os colaboradores de uma organização que deseja se transformar digitalmente devem ter a mente aberta para poder notar seus erros e acertos e mudar o mais rápido possível, gerando cada vez mais valor.

Tempos modernos: o que está por trás?

Para tudo que colocamos empenho para executar, é claro que há um foco em mente, um objetivo que nos move a buscar por alguma mudança.

E com a transformação digital isso não fica de lado, pois todas as empresas que aprimoram e modernizam seus processos, tem alguns objetivos e metas que serão atingidos ao atingir a transformação digital. 

Vamos conhecer alguns deles abaixo:

Solução de problemas com agilidade

Como já foi comentado acima, a tecnologia, quando aplicada e usada como suporte para empresas que desejam se modernizar, ajuda e muito na resolução de possíveis obstáculos ou problemas. Com foco na agilidade, as entregas são mais certeiras e rápidas, o que traz diversos resultados positivos para a organização

Melhora na comunicação interna

Com uma integração e união de processos e com a aplicação de metodologias ágeis, os times se tornam multidisciplinares e interagem com mais frequência. A colaboração passa a ser incentivada e cada colaborador se vê como parte de uma equipe e o engajamento entre eles contribui para a entrega de soluções eficientes.

Com canais bem estruturados, os times de uma empresa conseguem trabalhar remotamente, de forma síncrona – emissor e receptor interagindo juntos – ou assíncrona – emissor e receptor interagindo separadamente – sem que haja prejuízos ou ruídos na comunicação. 

Menos burocracia e automatização de processos

Diante dos avanços tecnológicos dos últimos tempos, ficou cada vez mais fácil utilizar a tecnologia como base para alguns processos, automatizando procedimentos que, sem o digital, seriam mais longos e burocráticos. Além disso, por meio das ferramentas que interligam departamentos, a integração de setores unifica e automatiza ainda mais todos os processos. 

Melhora na comunicação entre empresa e cliente

A comunicação, em cenários modernizados, é mais instantânea e direta, e também mais facilitada com a aplicação de plataformas digitais. Em empresas que utilizam o omnichannel, por exemplo, o cliente é facilmente reconhecido na plataforma e resolve problemas com mais facilidade, o que reduz a evasão e melhora a experiência do usuário. 

A segmentação da comunicação, com a utilização de canais diversos para diferentes objetivos, direciona a comunicação, garantindo que as informações sejam contextualizadas e atinjam o público-alvo com mais eficácia, sem perda em nenhum dos lados. Afinal, é por meio da tecnologia que o público se aproxima, se comunica e avalia a empresa.

Decisão com base em dados

Diante de tantas opções de ferramentas, dados é o que não vai faltar. A todo momento, dados de colaboradores e clientes – e qualquer usuário que interage com a empresa digitalmente – são coletados e armazenados. Por sua vez, todos esses dados são avaliados de forma cuidadosa, criteriosa, oferecendo às organizações informações mais claras sobre seu público. Com o bom uso dos dados, a análise de desempenho é mais assertiva e fica mais fácil identificar as mudanças necessárias para oferecer cada vez mais valor e experiência aos consumidores.

Com o uso do People Analytics, é possível medir também a adaptação, execução e entrega dos colaboradores e seus times, direcionando-os a uma entrega com mais agilidade e eficiência. Além disso, com a avaliação do bem estar dos colaboradores por meio de dados, a empresa pode se empenhar para proporcionar ambientes mais confortáveis, modernos e interativos. Os dados oferecem insights para que os times de RH se dediquem em proporcionar melhores experiências aos colaboradores, criando o sentimento de pertencimento, favorecendo o desenvolvimento profissional por meio do investimento e aprimoramento das habilidades e competências de cada colaborador unicamente. Assim, os times de gestão sabem onde acertar para tornar cada colaborador mais motivado e produtivo, contribuindo com uma jornada repleta de boas vivências e oportunidades.

Um olhar para as práticas e ferramentas

O cenário tecnológico global é completo e imprevisível, então nunca sabemos o que o futuro reserva para o mercado, e é justamente essas incertezas que movem as empresas, afinal é necessário estar preparado para se adequar às mudanças assim que elas chegarem.

Para isso, é válido investir em algumas práticas e utilizar ferramentas estratégicas.

Metodologias ágeis e design thinking

Algumas metodologias como SCRUM aprimoram a gestão de projetos e otimizam o progresso, utilizando times menores e colaborativos, que atuam com a separação do projeto em etapas, tornando o gerenciamento algo mais simplista e objetivo. 

Já o design thinking é um método que utiliza práticas com o objetivo de trazer visões criativas para a solução de problemas. Por meio de equipes multidisciplinares, a discussão se torna colaborativa, gerando insights e facilitando a obtenção de informações que serão necessárias para vencer um obstáculo, direcionando o foco para o público-alvo.

Armazenamento em nuvem

Quando obtemos dados sobre processos empresariais, é necessário ter um local seguro para armazená-los. Diante disso, a tecnologia entra em cena, fornecendo servidores que guardam dados, informações e demais documentos de forma mais rápida e segura. Logo, a gestão de softwares e o compartilhamento de arquivos, por meio da nuvem, torna- se mais acessível, independente do local em que as pessoas se encontram. Isso tudo evita um possível vazamento de dados confidenciais, por exemplo.

Presença online

Estar no meio online é importante para qualquer empresa, mas se tornou uma prioridade diante dos últimos avanços das redes sociais. A partir de uma presença online, é possível criar um ambiente personalizado para cada marca, um local ideal para construir relações com o público-alvo, o que gera posicionamento e aproximação horizontal entre consumidor e empresa. Os algoritmos das redes, em conjunto com a coleta de dados e a segmentação do público, facilitou a oferta de conteúdos e anúncios exclusivos para cada usuário, possibilitando melhorias na publicidade e na experiência do usuário de forma geral. 

Conhecimento online

Nos últimos tempos, com o avanço do online, entrou em cena novas maneiras para consumir conteúdos. Plataformas que armazenam conteúdos e permitem a participação em eventos, a realização de cursos, palestras e reuniões facilitam o acesso ao conhecimento, independente do local de realização. Na busca pela transformação digital, as empresas podem investir nessas novas modalidades para capacitar seus colaboradores.

Chegou a hora de transformar

A transformação digital é essencial para toda e qualquer empresa que deseja se posicionar em um mercado modernizado e virar referência e destaque para outros do mesmo ramo – e até de áreas distintas. Atualmente, é difícil se manter estável em um contexto digital sem antes se preparar para se adequar a ele.

A adaptação aos novos cenários deve acontecer de forma rápida, e para isso é extremamente necessário ter um planejamento que se adeque à realidade de cada empresa, considerando suas capacidades e as instabilidades do mercado. O foco do planejamento é possibilitar a mudança no mindset utilizando tecnologias digitais como mediadoras, e não a criação de uma “receita” para a transformação digital, porque ela não existe!

A conquista da transformação digital é o objetivo final, mas até conquistá-la, há muito caminho a ser percorrido e os primeiros passos estão na implementação de uma nova mentalidade orientada ao digital.

E a sua empresa, já aplica processos ágeis e investe na transformação digital? Está na hora de inovar com flexibilidade, agilidade e acessibilidade!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: